Welcome to Blog umbreveolhar

O meu objectivo, é escrever breves textos, sobre os assuntos que eu considere de interesse nos mais diversos âmbitos, e que prendam a atenção do seu olhar!
Domingo, 20 de Abril de 2008
O Dia 25 de Abril de 1974, para mim é inesquecível.

Eu  cumpria o Serviço Militar ainda na altura da Revolução do 25  de Abril, que abriu portas para a Democracia tão desejada por muita gente, incluindo eu próprio, como é óbvio.  Lembro-me que estava de serviço na véspera e  tinha confidencialmente conhecimento do que ia acontecer no dia seguinte, tendo  continuado de serviço no dia da Revolução, que eu recordo  todos os momentos como se fossem hoje. 

Os Civis,  que era assim como os chamávamos, andavam na sua grande maioria com uma satisfação muito grande, exibindo os saudosos cravos vermelhos e confraternizando amavelmente connosco dando-nos sempre muito apoio moral tão necessário nessa ocasião. Eu diria que essas pessoas também fizeram parte do sucesso alcançado com o Movimento das Forças Armadas, pelo que lhes devemos muita gratidão.

Salvo alguns percalços  que entretanto iam surgindo, num ou noutro local, a Revolução foi um êxito e para quem não é desse tempo, ou não cumpriu o serviço militar, tem visto em filmes ou documentários  uma amostragem daquilo que se passou no terreno. Agora faz parte da história verídica e é bom que os estudantes a aprendam bem. Porque viver em democracia é muito diferente do que suportar  uma Ditadura como a que precedeu o Dia 25 de Abril de 1974.

Os dias que se seguiram continuavam a ser vividos por nós e por muitas pessoas com extraordinária alegria, e por essas circunstâncias os militares eram solicitados  a muitos Locais. onde a multidão carregada de cravos vermelhos os recebiam efusivamente com  muitas palmas e gritando: vivas ao 25 de Abril e às Forças Armadas.

Um dia fui com mais dois oficiais do exército num jipe do Quartel a Felgueiras, onde nos esperavam milhares de pessoas, que nos aplaudiam vivamente. Era de  tarde e estava um calor tórrido e nós fardados a rigor! 

Entramos para o Salão Nobre dos Bombeiros, onde fomos recebidos principescamente , onde nada faltava para lanchar  e até vinho do porto, cujo comandante dos Bombeiros disse que era do melhor, e só para nos homenagear, fez questão de abrir a garrafa que nos estava destinada para cada um beber um cálice, e comprovamos a sua óptima qualidade. Pois nessas ocasiões não se pode recusar o que amavelmente nos oferecem com tanto gosto.

Ao dirigirmo-nos para a varanda do Edifício onde o povo mais uma vez nos saudava com enorme entusiasmo. O militar mais graduado era  um capitão " de carreira" mais velho, e por isso não era capitão miliciano. Ele tinha chegado dias antes ao Quartel e não conhecia nem bem nem mal a agora cidade de Felgueiras, pelo que a primeira gafe foi: Bom povo de Fafe! Começamo-nos a rir sem que o Povo se apercebesse, mas eu em surdina disse-lhe para corrigir o lapso, o que ele fez de imediato.

Depois também usei da palavra, porque conheço bem aquela gente hospitaleira, e os aplausos eram constantes, o que para um orador é sempre agradável. No meio disto  tudo há sempre peripécias engraçadas, e esta foi uma delas! O 25 de Abril como já repararam está no meu coração. E Sei que também no coração de muitos Portugueses.

Viva o 25 de Abril! 

Nota: Eu tinha a intenção de só escrever este post no dia da 25, ou seja, quando oficialmente se comemora o dia da Liberdade, mas devido ao facto de nessa data, estar ausente do País por motivos profissionais, escrevo com uma antecipação de alguns dias.

 

"

 

 



publicado por umbreveolhar às 04:13
link do post | comentar | favorito
|  O que é?

21 comentários:
De Bichana a 22 de Abril de 2008 às 15:17
Para mim o 25 de Abril não tem esse significado. A revolução trouxe a minha família de Angola para Portugal, contrariados e com muita dor...


De umbreveolhar a 22 de Abril de 2008 às 16:28
Tal como em determinado parágrafo referi, houve contrariedades por causa dessa revolta dos Militares. O chamado :Movimento das Forças Armadas,que foram as exepções lamentáveis. E como disse eu era militar aquando da revolução de Abril de 1974. Tendo sido mais sobre esse facto que eu destaquei o 25 de Abril.
A descolonização, foi sem dúvida mal feita! E nesse aspecto concordo com o que diz, até pelos exemplos familiares que refere, e com os quais me solidarizo consigo nesse aspecto e lamento o sucedido.
Mas uma coisa foi implantar a democracia, outra a demagogia, e quanto à descolonização, os capitães não tiveram culpa alguma, mas sim os politicos e militares de alta patente.

Acrescento, que uma grande parte dos meus amigos vieram das antigas colónias com os problemas e traumas que isso acarreta, mas dada a sua personalidade, arte para o trabalho, e negócios, hoje são pessoas que se distinguem dos demais por causa do sucesso que têm, e que faz inveja a muita gente que nunca saiu daqui para a África.! Pessoalmente, nunca prejudiquei um patriota que tenha estados nas ex-colónias portuguesas.
Lamento mais uma vez o que aconteceu à sua Família, pois são valores muito altos para que não tenham sido acautelados os seus legítimos direitos.

Continuo a ler os seus extraordinários posts, e espero que não se zangue comigo, cuja "culpa" foi apenas ser obrigado a cumprir o serviço militar obrigatório!

Cumprimentos,
Carlos Alberto Borges


De Bichana a 23 de Abril de 2008 às 17:42
Claro que não me zango consigo! Longe de mim, tem sido muito gentil comigo!
Obrigada pelas suas palavras


De Sofia Loureiro dos Santos a 22 de Abril de 2008 às 16:09
Carlos Alberto,

para mim o 25 de Abril apanhou-me em Cabo Verde, criança ainda, mas deixou-me um travo de alegria, cumplicidade e satisfação que é difícil de descrever. à minha volta tudo se iluminava e parecia que as pessoas eram melhores. Talvez por isso seja bom que festejemos este dia noutros dias também.

Obrigada pelas suas visitas.


De umbreveolhar a 23 de Abril de 2008 às 11:11
Quanto eu lamento e compreendo essa grande frustração e saudade de Cabo Verde, pois como disse ainda era uma criança, que terá sempre na memória aquelas vivências.
Porque é uma realidade que aquilo que mais está retido na memória, são as brincadeiras e porventura ainda, o ensino básico, duma criança. Eu sei o que isso é, em circunstâncias diferentes, e por isso lamento que a suas vivências de criança, tenham sido interrompidas tão abruptamente por causa do 25 de Abril. Não é justo!

Tal como respondi ao comentário anterior, que pode fazer o favor de ler, houve precipitação dos politicos e dos militares muito mais graduados e por isso mais velhos que fizeram uma descolonização atabalhoada, não acautelando os direitos das familias Portuguesas, ou outras, que honradamente trabalhavam nessas ex colónias, cujas consequências disso, foi o sofrimento psicológico , e não só, para os pais e filhos. e outros agregados familiares.
Estou solidário consigo, e mas uma vez lamento.

Sei que perceberá , que o meu post , teve apenas em vista fazer uma pequena reflexão do Movimento das Forças Armadas e a alegria do Povo, por ter sido restituída a Liberdade Politica, e nada mais! Hoje, seria impensável um regime como aquele que precedeu o 25 de Abril. mal ou bem - repito :"mal ou bem" nem fariamos parte da Comunidade Europeia e não havia direito a voto! Eu era um militar muito jovem e cumpri o serviço militar obrigatório durante exactamente três anos.
Com os meus respeitosos cumprimentos e reitero a minha sincera solidariedade,
Carlos Alberto Borges


De Sofia Loureiro dos Santos a 23 de Abril de 2008 às 15:42
Carlos Alberto, talvez não me tenha feito entender. Embora criança o 25 de Abril deixou em mim uma marca de felicidade e de companheirismo que dificilmente encontrei mais tarde.


De umbreveolhar a 23 de Abril de 2008 às 19:09
Até parece impossível este equívoco. Apresento-lhe as minhas desculpas, pois tem toda razão no seu reparo. Porque como sempre escreveu em bom português.

Ainda bem que lhe trouxe felicidade, sendo esse o objectivo do Movimento das Forças Armadas no dia 25 de Abril de 1974.

Os meus sinceros cumprimentos,

Carlos Alberto Borges


De umbreveolhar a 24 de Abril de 2008 às 11:39
Volto de novo a responder ao seu comentário, pois quase não dormi esta noite a pesar no meu grande equívoco!
Depois de reflectir muito no assunto e lamentar a minha atitude, resolvi escrever outro post onde é provável que esteja aí a causa dessa confusão imperdoável.

Muito obrigado pela sua simpatia e continuo a ver o seu extraordinário Blog. é uma pessoa que para além do mais, é muito educada. e simpática. Eu até merecia uma reprimenda!

Os meus cumprimentos,

Carlos Alberto Borges


De mariadosol a 23 de Abril de 2008 às 16:06
O 25 de Abril (tinha 20 anos) trouxe luz e esperança. Quem se lembra como era antes, aqui em Portugal sabe que o 25 de Abril foi FESTA ! Depois é a condição humana. O impulso que nos leva à transcendência é da mesma natureza do que nos leva ao disparate!
Vou voltar por aqui.


De umbreveolhar a 23 de Abril de 2008 às 19:52
Apreciei muito o seu comentário, que teve a gentileza de fazer.

Obrigado e volte sempre,

Carlos Alberto Borges


De umbreveolhar a 28 de Abril de 2008 às 20:57
Volto de novo ao seu comentário, para lhe pedir a gentileza de me adicionar como Amigo.

Para isso clique, por favor no url do sapo: http://.umbreveolhar.blogs.sapo.pt. e depois no canto superior esquerdo, clique em adicionar amigo.. porque mariadosol é do blogspot do Google e não encontro forma de a adicionar!
Aguardo a sua colaboração,
Carlos Alberto Borges


De mariadosol a 28 de Abril de 2008 às 21:27
Acho que me "despistei" e não atendi ao seu pedido.
Se assim foi peço desculpa.
:))


De umbreveolhar a 28 de Abril de 2008 às 22:53
Apenas falta adicionar-me como amigo, conforme sugeri.

Muito obrigado pela simpatia,
Carlos Alberto Borges


De mariadosol a 28 de Abril de 2008 às 23:38
Não consigo. Dá sempre erro
:))


De umbreveolhar a 29 de Abril de 2008 às 01:01
Afinal conseguiu-me adicionar como Amigo, verifique o meu Blog e constatará isso mesmo.
Obrigado pela sua especial atenção e Amizade. Fiquei contente!

Muitos cumprimentos,
Carlos Alberto Borges


De Nuite a 26 de Abril de 2008 às 11:06
É bom ouvir a em primeira mão ...
o relato de um dia tão especial !!!
=) Obrigado ...

aguardo um novo 25 de abril ...
desda vez onde possa ser eu persagem da historia.

Ana


De umbreveolhar a 26 de Abril de 2008 às 12:11
Ana, muito obrigado pelas suas palavras e volte sempre que quiser.

Os meus respeitosos cumprimentos,

Carlos Alberto Borges


De A Formiga a 29 de Abril de 2008 às 10:31
Em resposta ao seu desafio escrevo estas linhas tortas que não se endireitarão jamais.
Não vivi o dia da liberdade, ainda não tinha nascido, nasci 5 meses depois. Esta é a mais importante data da nossa história recente. Seria impensável manter um regime caduco por muito mais tempo, uma situação insustentável sem direitos básicos.
Imagine-se o que seria viver hoje como se vivia naquela altura, sem acesso à informação, ao conhecimento e sem o direito mais elementar que é a liberdade de expressão.
Não haveria certamente telemóveis nas aulas e consequentes agressões aos professores. Haveria se calhar um Marcelo a falar na TV todas a semanas.
Pena que o 25/4 seja hoje apenas mais um feriado que dê jeito às sextas e as segundas, um dia como os outros onde o país não pára e não reflecte e homenageia aqueles que durante 48 anos foram tombando ou morrendo aos poucos.
Lembrar é celebrar a nossa liberdade conquistada a golpes de cravos, sem sangue e com o apoio de um país com medo de ser feliz. Somos ainda um país triste, talvez uma tímida social-democracia como previa o Companheiro Vasco. Mas somos livres para dispormos do nosso país como quisermos e com a capacidade de resistir e com a capacidade de dizer não e ficou provado que pode nascer um país do ventre de uma Chaimite.


De umbreveolhar a 29 de Abril de 2008 às 12:00
Gostei e sensibilizou-me muito pelas suas óptimas ideias, distinguindo muito bem: o antes e o depois do 25 de Abril. Valeu bem a pena o Movimento das Forças Armadas!

Volte sempre e muito obrigado,
Carlos Alberto Borges


De sunshine a 25 de Maio de 2008 às 18:11
O 25 de Abril será sempre um dia de um significado histórico, que determinou um valor fundamentel - o direito à liberdade e à livre expressão. Era pequena, mas para mim, esse dia permitiu-me ser hoje aquilo que sou e muito o devo a todos os que de forma directa ou indirecta nela participaram.
Conheci pessoalmente Salgueiro Maia, um homem extraordinário, que não estando sózinho, foi o lider da revolução, sendo um homem bom, nobre de grandes valores, que acreditava nos seus ideais.


De umbreveolhar a 25 de Maio de 2008 às 18:53
Fico extremamente feliz com tudo o que disseste cujas palavras lindas e objectivas, eu não poderia estar mais de acordo!.Também tens razão quanto ao Salgueiro Maia que como é obvio conheci-o e convivi com ele. e gostei que o tenhas conhecido pessoalmente. Grande Pessoa, que além da sua cativante simpatia, foi sem dúvida o Lider da Revolução e o Capitão que se viu mais em "apuros"!
A forma como estás esclarecida dá-me muita satisfação, e agradeço as tuas esclarecedoras palavras. Parabéns.

Volta sempre e até breve,
Carlos Alberto Borges


Comentar post

Carlos Alberto Borges
Julho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


O meu blog e o mundo à distância de um clique

Ninguém dispensa a visita a umbreveolhar...


MusicPlaylist
MySpace Playlist at MixPod.com

PORTUGAL
subscrever feeds
links
Luso-Poemas - Poemas de amor, cartas e pensamentos
posts recentes

RECOMEÇA

QUADRA NATALICIA 2013

CHEGOU O OUTONO

CHEGOU A PRIMAVERA

Amar!

Meu Blog umbreveolhar e F...

Mar Português

Um Novo Ano com Paz!

Um BOM ANO de 2011

Natal 2010

pesquisar
 
arquivos
mais comentados
65 comentários
57 comentários
54 comentários
50 comentários
49 comentários
tags

todas as tags

favoritos

Atraiçoada eleita!

curto circuito

MUNDO

Explicação da Poesia

Mar azul - Cesária Évora ...