Welcome to Blog umbreveolhar

O meu objectivo, é escrever breves textos, sobre os assuntos que eu considere de interesse nos mais diversos âmbitos, e que prendam a atenção do seu olhar!
Quinta-feira, 8 de Janeiro de 2009
Sinto-me muito triste - Faleceu a Minha Querida Mãe

Quem me lê habitualmente e que felizmente são muitos Amigos e Amigas, sabem bem que os meus textos são por norma positivos e quase sempre com uma pitadinha de humor que reflecte a minha forma de estar na vida.

 

Porém, desta vez sinto-me invadido pela tristeza e por isso impele-me a falar do falecimento da minha Mãe que ocorreu esta semana, tendo ído para a sua " última casa" ontem no cemitério da Atouguia em Guimarães, onde no jazigo já a esperava o meu Pai desde o da 5 de Fevereiro de 2007 e outros Familiares que também lá estão.

 

A minha Mãe deu entrada no Hospital de Guimarães  uns dias antes do Natal, tendo lá passado essa  Quadra Festiva, e o Ano Novo até à madrugada de Terça Feira, onde não resistiu a uma delicada operação, apesar do meu optimismo que a operação corresse bem.

 

No Natal e Ano Novo comuniquei com muitos Amigos e Amigas desejando Boas Festas e vice-versa, nunca demonstrando a alguém a dor que me ía na Alma, pelo facto da minha Mãe estar hospitalizada, pois entendi que devia ser esse  o meu procedimento. Além do mais tinha a esperança que a qualquer momento tivesse alta hospitalar, o que infelizmente não veio a acontecer.

 

Ontem um dos Senhores Padres disse na Missa de Corpo Presente que os meus Pais  deixavam um legado muito rico por causa da Família numerosa que constituíram, pois são 10 filhos, muitos netos, bisnetos, sobrinhos, noras, genros e cunhados.

 

Ouvi com atenção aquela homilia, mas apesar desse legado que deixaram, eu sinto-me mais pobre porque já não tenho o Pai e Mãe entre nós.

 

Desculpem, mas tive que desabafar, pois estou a passar um momento particularmente dífícil de dor que a perda dos entes queridos nos causam.

  



publicado por umbreveolhar às 14:42
link do post | comentar | favorito

89 comentários:
De saozinhasimoes a 11 de Janeiro de 2009 às 01:39
Olá Carlos. Os meus sentidos pesamos , pela morte da tua mãe, eu passei pela mesma situação há um ano atrás, também perdi a minha mãe, na passagem de ano 2008, meia hora depois da entrada do novo ano, sei dar o valor ao que estás a passar, a saudade é terrível, já passou um ano, e não consigo acreditar que a minha mãe partiu para o Pai do Céu. Já perdi também o meu pai já uns anos atrás, portanto estamos na mesma situação de dor e de grande sofrimento, ficamos como um barco à deriva, sem encontrar o porto de abrigo. Sei que tudo isto faz parte do processo da vida, mas ainda não consegui fazer o luto, isto é terrível. Espero que encontres conforto em Deus, pois só Ele nos pode confortar. Um abraço
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Olá Carlos. Os meus sentidos pesamos , pela morte da tua mãe, eu passei pela mesma situação há um ano atrás, também perdi a minha mãe, na passagem de ano 2008, meia hora depois da entrada do novo ano, sei dar o valor ao que estás a passar, a saudade é terrível, já passou um ano, e não consigo acreditar que a minha mãe partiu para o Pai do Céu. Já perdi também o meu pai já uns anos atrás, portanto estamos na mesma situação de dor e de grande sofrimento, ficamos como um barco à deriva, sem encontrar o porto de abrigo. Sei que tudo isto faz parte do processo da vida, mas ainda não consegui fazer o luto, isto é terrível. Espero que encontres conforto em Deus, pois só Ele nos pode confortar. Um abraço <BR><BR class=incorrect name="incorrect" <a>P.s.</A> já há muito tempo que fazes parte da minha lista de amigos.


De umbreveolhar a 11 de Janeiro de 2009 às 14:23
Olá minha Amiga,
Não sabia que os teus pais também já partiram, mas deixo aqui uma palavra amiga de alento para ti, solidarizando-me também contigo por esse grande infortúnio que eu compreendo bem.
Agradeço muito as tuas palavras de estímulo neste momento de dor que atravesso. Vale a pena ter Amigas assim que nos confortam nos momentos mais difíceis. Obrigado.
Felicidades e um bom Domingo,
Carlos Alberto Borges


De Torradaemeiadeleite a 11 de Janeiro de 2009 às 10:37
Lamento muito que estejas a passar por uma perda assim, Carlos... O tempo ajudará a atenuar o sorimento, coragem!


De umbreveolhar a 11 de Janeiro de 2009 às 14:28
Olá minha Amiga,
Nem calculas como me caíram bem as tuas palavras de encorajamento neste momento tão difícil para mim.
Por isso, muito te agradeço a tua habitual simpatia, e neste caso as palavras de alento e coragem. Obrigado.
Continuação de bom fim de semana e muitas felicidades,
O Amigo,
Carlos Alberto Borges


De A-lupa-de-alguem a 11 de Janeiro de 2009 às 13:07
Tenho passado pelo teu cantinho mas ainda não tinha deixado um comentário. Lamento muito a tua perda. Acredita que o tempo vai-te ajudar a superar esta perda. Muita coragem...


De umbreveolhar a 11 de Janeiro de 2009 às 14:40
Fiquei muito sensibilizado pelas tuas estimulantes palavras apoiando-me neste momento tão difícil. Obrigado.
Muito me agradou também por ser a primeira vez que leio um comentário teu e por isso te adicionei como Amiga e linkei-te no meu Blog como verificarás , esperando que vais retribuir.
É nestes momentos de infortúnio que se vê as boas Pessoas, e tu és o paradigma disso mesmo. Uma boa Pessoa.
Desejo-te um bom fim de semana, o qual já está em curso. Mesmo assim aproveita bem,
Cumprimentos do Amigo,
Carlos Alberto Borges


De Katerina K. a 11 de Janeiro de 2009 às 15:29
Estimadíssimo amigo,
Os meus mais profundos pêsames pela tua perda. Sei como te sentes, a tristeza enormemente pesada que te invade a alma. No entanto, também sei que de todo o mal vem um bem, e que a tua mãe não podia estar entre nós para sempre. Tenho a certeza que ela teve uma vida boa e preenchida, que o seu orgulho estava completo e satisfeito. Espero que fiques bem depressa, e que volte rapidamente esse teu bom humor e optimismo característico que tanto nos deleita.

Abraço especialmente apertado,
Joana F.


De umbreveolhar a 11 de Janeiro de 2009 às 16:09
Olá Catarina Costa,
Como te fico reconhecido por tão extraordinárias palavras realistas, as quais caem tão bem no meu coração.
A propósito do que dizes, e muito bem, eu digo o seguinte - Não conheci os meus avós, mas tive o privilégio de conjuntamente com mais 6 irmãos e 3 irmãs conviver com os nossos pais até muito tarde. De facto ninguém é eterno, todavia, quando deixam de estar entre nós é uma lacuna insuperável que com o tempo nos teremos de resignar.
Agradeço muito as tuas palavras encorajadoras, próprias duma Pessoa inteligente e Amiga. Com certeza que daqui alguns tempos retomarei parte da minha normalidade cujas tuas palavras tanto me entusiasmam. Obrigado.
Tudo de bom para ti e um bom Domingo,
O Amigo,
Carlos Alberto Borges


De Paola a 11 de Janeiro de 2009 às 19:23
Agora que aqui cheguei... li... e só tenho para te dizer que a tua dor está na minha.. Dói! Pois dói! Nada podemos fazer... Os meus partiram os dois no mesmo ano.

Os nossos pais vão, mas deixam obra. À sua memória.

beijinho


De umbreveolhar a 11 de Janeiro de 2009 às 21:49
Ainda bem que chegaste aqui, pois trouxeste palavras de estímulo que atenuam a dor que me vai na alma pelo falecimento da minha mãe.
Lamento muito que os teus pais tenham partido ambos no mesmo ano, por isso também expresso aqui o meu pesar e minha solidariedade para contigo.
O meu pai partiu em 04 de Fevereiro - vai fazer 2 anos.
Reitero a minha gratidão pelas tuas palavras , as quais calaram fundo no meu coração.
Desejo-te um óptima semana e volta sempre,
Carlos Alberto Borges




De Maria a 11 de Janeiro de 2009 às 21:55
Carlos
Ao ler o seu post fiquei muito triste e posso bem avaliar o que sente, perdi meu pai há , 43 anos 8 dias antes do meu e minha mãe partiu vai fazer 4 anos dia 13 de Janeiro. Sinto muito a sua tristeza um beijo


De umbreveolhar a 12 de Janeiro de 2009 às 21:25
Olá Maria,
Só quem passa por esses tristes acontecimentos, melhor compreende a situação.
Agradeço reconhecido as tuas palavras de alento para eu tentar ultrapassar com o tempo a tristeza que me vai na alma. Obrigado.
Uma boa semana e cumprimentos,
Carlos Alberto Borges


De mautemponocanal a 12 de Janeiro de 2009 às 10:56
Desculpa mas so hj dia 12 vi o teu post...
Lamento muito a tua perda. Só queria com estas minhas palavras dar-te um pouco de força.
Sei que nestes momentos não existem palavras que nos levantem o ânimo mas certamente ajuda saber que os amigos estão connosco tb na dor.
Um beijinho grande.


De umbreveolhar a 12 de Janeiro de 2009 às 21:36
Agradeço imenso as tuas palavras encorajadoras para este triste momento que atravesso .
As palavras são sempre bem vindas e por isso jamais me esquecerei que tiveste essa atitude de me confortar, o que é próprio das Pessoas Amigas, como é o teu caso.
Uma boa semana para ti,
Carlos Alberto Borges


De Catarina Portela a 12 de Janeiro de 2009 às 11:33
Caro Amigo. Sei bem o vazio que podes estar a sentir, é-me de facto familiar essa sensação visto eu também ter perdido o meu pai à cerca de 1 ano e 9 meses.Ainda não saiu a dor, e principalmente o vazio... Desejo-te muita e muita força nesta caminhada agora sem "pedaços teus". Nunca haverá alguém capaz de os substituir, devemos sempre aprender a viver sem eles... Afinal foi para isso mesmo que Eles nos criaram, para que um dia fossemos capazes de viver sem eles.

E vivemos, sempre com a falta deles, mas vivemos.

Beijinhos, amigo Carlos.


De umbreveolhar a 12 de Janeiro de 2009 às 21:43
Senti muito o significado das tuas palavras que revelam amizade e ao mesmo tempo a experiência desagradável por teres passado por uma situação idêntica.
É com palavras encorajadoras como as tuas, que se vê quem é amigo, e tu revelas por isso muita Amizade que eu retribuo. Obrigado.
Uma óptima semana e cumprimentos,
Carlos Alberto Borges


De Margarida a 12 de Janeiro de 2009 às 17:10
Olá Carlos
Só agora por aqui passei e tomei conhecimento da tua grande perda.
Sei bem o que estás a passar! O meu pai partiu no ano passado e ainda doi muito. Tenho tantas saudades dele! Mas, tenho um bocadinho mais de sorte pois ainda cá tenho a minha mãe para poder amar e mimar.
Lembra-te que eles estão de certeza num lugar melhor que este e, lá de onde estão vão olhar com muito orgulho para "o legado" que cá deixaram... Tu e os teus irmãos!
São estes pensamentos que minimizam a minha dor. Espero que também te ajudem a ti.
Um beijinho
Margarida


De umbreveolhar a 12 de Janeiro de 2009 às 21:54
Fico muito honrado com o teu comentário, o qual agradeço.
Não sabia que o teu pai já tinha partido há pouco tempo, mas felizmente ainda tens a tua mãe. Por isso expresso aqui a minha solidariedade pela perda do teu pai e desejo longos anos e saúde para a tua mãe.
Verifico que leste bem o meu texto que prova o interesse pelo infortúnio do teu Amigo. Obrigado.
Desejo-te muitas felicidades para os teus onde se inclui a tua estimada mãe.
Carlos Alberto Borges


De Filipe Costa a 13 de Janeiro de 2009 às 00:24
Olá Carlos.
Só hoje passei por aqui e não podia passar sem deixar umas palavras de alento e coragem, depois de uma perda tão grande como a que tiveste. Realmente estas situações que todos nós já passamos, uns mais directos outros menos é que nos deixam muito mais pobres , pois não hà dinheiro que pague uma perda dessas.
Sei do que falo pois o meu pai morreu muito novo, tinha eu 12 anos e numa altura em que eu ia precisar mais dele e ainda hoje penso muito nele, pois hoje também sou pai de 3 rapazes e sei bem o que isso representa para eles. Mas a vida é mesmo assim e só nos resta ir em frente e honrar, aqueles que tudo fizeram para que também fossemos umas pessoas honradas.
Apreciei a tua preocupação em não quereres incomodar os teus amigos numa altura festiva, mas costuma-se dizer que os amigos são para as ocasiões e por isso quem é amigo tanto o é na saude como na doença.
Não conheço nenhum remédio para essa tua dor e até penso que não exista, pois inventam todos os tipos de remédio para o corpo, mas não conheço nenhum para a alma, por isso deixo-te estas palavras de coragem e solariedade com um grande abraço, deste teu amigo.


De umbreveolhar a 13 de Janeiro de 2009 às 19:02
Olá Filipe Costa,
Muito apreciei as tuas palavras sentidas pelo infortúnio que me invade a alma.
Não sabia que o teu pai partiu quando ainda eras uma criança com apenas 12 anos. Não foi fácil para ti suportar essa dor e como dizes e bem. " numa altura em que precisavas tanto dele". Lamento muito essa infelicidade tão grande que é insuperável.
A vida continua e o tempo há-de ser um regenerador para debelar o sofrimento, porém estarão sempre na nossa memória.
Desejo-te muita sorte para ti e para os teus,
Um grande abraço do Amigo,
Carlos Alberto Borges



Comentar post

Carlos Alberto Borges
Julho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


subscrever feeds
links
posts recentes

RECOMEÇA

QUADRA NATALICIA 2013

CHEGOU O OUTONO

CHEGOU A PRIMAVERA

Amar!

Meu Blog umbreveolhar e F...

Mar Português

Um Novo Ano com Paz!

Um BOM ANO de 2011

Natal 2010

pesquisar
 
arquivos
mais comentados
65 comentários
57 comentários
54 comentários
50 comentários
49 comentários
tags

todas as tags

favoritos

Atraiçoada eleita!

curto circuito

MUNDO

Explicação da Poesia

Mar azul - Cesária Évora ...